• Pesquisa DPGP

Dias de Gravidez Potencialmente Perdidos (DPGP) é uma lente de aumento para a idade gestacional

Atualizado: 29 de Out de 2020

No dia 22 de outubro apresentamos um pôster no KiGC community annual meeting. Será um seminário de resultados preliminares das pesquisas financiadas pela chamada Grand Challenges Explorations - Brazil: Data Science Approaches to Improve Maternal and Child Health in Brazil (2018).


Conheça aqui em primeira mão os principais resultados.


A proposta do indicador DPGP é mais detalhadamente para os dados, buscando entender o quanto cada dia da duração da gravidez pode fazer diferença para evitar danos a saúde das mulheres e bebês no Brasil.


Por que em dias?

Descobrimos que mesmo após 37 semanas de gestação, bebês que nascem antes de estarem plenamente prontos têm:

• Aumento no risco de morte por doenças respiratórias e complicações metabólicas

• Internações em UTI

• Baixo peso ao nascer e dificuldades na amamentação

• Risco aumentado de ter doenças crônicas quando adultos


Cada dia conta

Dentro do período de termo em nível nacional e no município de São Paulo todos os modelos mostram diferenças significativas de Hazard Ratio(HR) de mortalidade neonatal por dias perdidos, no período de termo precoce.


O gráfico abaixo mostra que o HR para mortalidade neonatal diminui a cada dia de gestação que a mulher ganha até as 40 semanas (280 dias).


Intervenções no parto vaginal podem estar associadas ao excesso de mortalidade


Após o período de termo pleno, há uma queda da HR para mortalidade no setor privado, e aumento na HR para partos vaginais no setor público, possivelmente relacionada ao excesso de induções.


Distribuição da curva depende do setor (privado ou público)

Mulheres mais ricas, no setor de saúde privado, que passam por cesarianas, tem maiores taxas e bebês nascidos no período de termo precoce (perda média de 12 dias). Essas tendências no pré-termo e termo precoce estão presentes na idade gestacional determinada por data da última menstruação, ultrassonografia ou exame físico do recém nascido.




Inversão da disparidade esperada

Mulheres mais ricas tem maior perda de dias de gestação que as mais pobres. Exceto para <1% que tem partos domiciliares, que perdem zero dias.

- Para gestações a termo, rico de hospitalização materna prolongada

-A cesariana das ricas e a das pobres são diferentes em IG, atributos obstétricos e clínicos, com as pobres tendo os piores desfechos.

-IG em dias é subestimada pelo arredondamento feito no registro.







Pôster completo apresentado no KiGC Community Annual Meeting:




Aproveite para se inscrever em nossa newsletter para não perder nenhuma atualização!